cmts biometria

416ª Zona Eleitoral pede ajuda da Câmara para incentivar eleitores a cadastrar biometria

 

Para evitar as longas filas que se formam no período que  antecede as eleições, e, ao mesmo tempo garantir conforto, agilidade e segurança aos eleitores a 416ª Zona Eleitoral de Taboão da Serra, localizada no Parque Pinheiros, está implementando ações para incentivar os eleitores a realizar o cadastramento biométrico. Essa semana funcionários da zona eleitoral se reuniram com a  presidente da Câmara Municipal, vereadora Joice Silva, e pediram apoio na divulgação das campanhas de cadastramento biométrico.

Até o dia 11 de abril pouco mais de 15 mil eleitores inscritos na 416ª Zona Eleitoral haviam feito a biometria, restando mais de 94 mil pessoas para realizar o procedimento. A biometria ainda não será obrigatória em Taboão nas eleições de 2018, mas, os funcionários da 416ª querem intensificar ações para incentivar o cadastramento biométrico.

De acordo com Luana Naomi Ueki, o cadastramento biométrico é feito mediante agendamento. Ela afirma que como estamos fora do calendário eleitoral o período é ideal para os eleitores agilizarem o procedimento.

“O atendimento é agendado porque em alguns casos o cadastro da biometria demora em média 15 minutos. Para nós é muito importante que os eleitores venham antes para evitar a correria dos últimos dias de quitação eleitoral”, afirma, acrescentando que quem ficou sem votar nas últimas três eleições deve procurar a Justiça Eleitoral, fazer o cadastro e  pagar multa e ficar apto a votação na próxima. “Quem não comparecer ao cartório eleitoral e ficou sem votar nas três últimas eleições terá o título suspenso”, alerta.

Além de procurar a Câmara Municipal para pedir ajuda dos vereadores na divulgação da campanha permanente de cadastro biométrico os funcionários da zona eleitoral 416º devem fixar cartazes em escolas, postos de saúde e outros locais públicos para avisar os eleitores sobre o procedimento e evitar as traumáticas filas que ocorrem na reta final do calendário eleitoral.

O TSE faz o cadastramento biométrico gradativo em todo o país e tem a meta de concluir a identificação de todos os eleitores até 2022. Atualmente, 50,4 milhões de cidadãos já são identificados pela biometria, o que corresponde a 34,4% do total do eleitorado.
Até 2018, de acordo com o planejamento da Justiça Eleitoral, mais 1.256 cidades terão cadastrado seus eleitores. São Paulo, que concentra o maior eleitorado brasileiro, fará revisão em 79 municípios nesta etapa.

Histórico

Desde as Eleições Municipais de 2000, todos os brasileiros escolhem os seus representantes utilizando a urna eletrônica. No entanto, naquela época, verificou-se que em um procedimento eleitoral ainda havia a intervenção humana: na identificação do eleitor. Isso porque nesse momento o mesário recebe os documentos do votante, verifica os seus dados, digita o número na urna eletrônica e, se o título fizer parte daquela seção e o eleitor não tiver votado ainda, libera a urna para que o cidadão vote.

____________________________________________________________________________________________________________________________

Legenda: Presidente da Câmara, Joice Silva, recebeu funcionários da 416ª Zona Eleitoral em seu gabinete para discutir biometria

 

social position